Thomaz Espíndola e a geografia alagoana

Liceu Alagoano, onde Thomaz Espíndola era professor catedrático de Geografia, Cronologia e História
Médico e jornalista Thomaz Espíndola

Médico e jornalista Thomaz Espíndola

Thomaz do Bomfim Espíndola nasceu no dia 18 de setembro de 1832, em Maceió, Alagoas, e faleceu em 6 de março de 1889, às 22 horas, em sua residência na capital alagoana. Vítima de uma congestão cerebral, foi enterrado na sacristia da Catedral de Maceió.

Era filho de Florêncio do Bonfim Espíndola e de Luzia Rosa do Bonfim Espíndola. Após ficar viúvo, casou pela segunda vez com Emília de Andrade, também viúva.

Deputado provincial e geral, presidente interino da província, médico, jornalista. Fez os estudos inicias e preparatórios em sua cidade natal. Formou-se em Medicina pela Faculdade da Bahia (1853), tendo defendido a tese Dissertação Acerca da Influência Progressiva da Civilização Sobre o Homem.

No dia 5 de fevereiro de 1855 foi nomeado Lente de Geografia, Cronologia e História do Lyceu de Maceió, futuro Lyceu Alagoano. Dias depois recebeu do presidente da Província Sá e Albuquerque a incumbência de fazer o levantamento estatístico e geográfico de Alagoas, trabalho que só foi concluído em 1860.

Esse levantamento foi transformado no seu famoso livro Geografia Física, Política, Histórica e Administrativa da Província de Alagoas, impresso em Maceió na Tipografia do Jornal de Maceió, em 1860.

Eleito para a Assembleia Provincial (hoje Assembleia Legislativa Estadual) pelo Partido Liberal, na legislatura 1860-61, pelo 1º círculo, reelege-se em 64-65, já agora pelo 1º distrito, e volta a se reeleger em 1866-67, ainda pelo mesmo distrito. Como jornalista, foi o principal redator do jornal O Liberal, fundado em 12 de abril de 1869.

Autor, entre outros, do projeto que criou a Biblioteca Pública Estadual. Deputado geral (hoje deputado federal) nas legislaturas 1878-81 e 81-84, pelo Partido Liberal..

Como presidente da Câmara Municipal, tomou posse no governo de Alagoas a 30 de julho de 1867, permanecendo até 6 de agosto. Em sua administração, de apenas sete dias, foi inaugurada no dia 3 de agosto de 1867 a navegação do Rio São Francisco, unindo Penedo a Piranhas.

Nomeado, em 30 de janeiro de 1878, 1º vice-presidente, assume a administração em 8 de fevereiro, permanecendo até 11 de março do mesmo ano.

Fac-simile da capa da obra mais conhecida de Thomaz Espíndola

Fac-simile da capa da obra mais conhecida de Thomaz Espíndola

Ocupou, ainda, os cargos de inspetor-geral da Instrução, comissário vacinador, inspetor de saúde pública, agente auxiliar do Arquivo Público do Império, inspetor de Higiene; professor interino e depois catedrático de Geografia, Cronologia e História do Liceu Provincial de Maceió.

Foi médico consulente do Hospital Regional de Maceió e provedor do Porto de Maceió.

Patrono da cadeira 11 da Academia Alagoana de Letras. Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas – empossado em 18 de fevereiro de 1870, sendo patrono da cadeira 38 da instituição.

Publicou Geografia Física, Política, Histórica e Administrativa da Província de Alagoas, Maceió, Tipografia do Jornal de Maceió, 1860.

Dessa obra foi tirada uma segunda edição, corrigida e aumentada, sob o título Geografia Alagoana, ou Descrição Física, Política e Histórica da Província das Alagoas, O Liberal, Maceió, 1871. (Baixe AQUI).

Outras publicações: Profilaxia do Cólera Morbus Epidêmico, Sintomas, Tratamento Curativo Desta Moléstia, Dieta, Convalescença, Considerações Gerais e Clinicas, Ceará, 1862; Relatório com que o Dr. Thomaz Bomfim Espíndola, Presidente da Câmara Municipal de Maceió, entregou a Administração da Província de Alagoas ao 1º Vice-Presidente Dr. Francisco Duarte, em 6 de agosto de 1867.

Descrição das Viagens do Dr. José Bento Cunha Figueiredo Júnior ao Interior da Província de A1agoas, Maceió, 1870; Viagem do Presidente da Província Francisco de Carvalho Soares Brandão a Povoação de Piranhas e Paulo Afonso, Maceió, 1878; Relatório da Instrução Pública, 1866, Elementos de Geografia e Cosmografia Oferecidas à Mocidade Alagoana pelo Dr. T. do Bonfim Espíndola, Maceió, Tipografia da Gazeta de Notícias, 1874.

Recebeu o título de Cavaleiro da Imperial Ordem da Rosa das mãos do imperador. Foi o principal redator de O Liberal, jornal fundado em 12 de abril de 1869.

Em sua homenagem, uma das principais vias da capital recebeu o seu nome. A Av. Thomaz Espíndola recebeu esta denominação pela Lei Municipal nº 51, de 2 de março de 1889. Esta rua era conhecida anteriormente como Beco do Quiabo e depois Rua dos Lavradores, quando esta parte do Farol ainda era conhecida como o Alto do Jacutinga.

Fonte principal: Pesquisa de José Maria Tenório Rocha para o fascículo nº 2 da coleção Memórias Legislativas, editada pela Assembleia Legislativa de Alagoas em 1997.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*