Santa Luzia do Norte, onde os holandeses foram derrotados

Prefeitura Municipal de Santa Luzia do Norte nos anos 80
Igreja Matriz Santa Luzia de Siracusa, em Santa Luzia do Norte

Igreja Matriz Santa Luzia de Siracusa, em Santa Luzia do Norte

Santa Luzia do Norte, que já tinha sido Santa Luzia de Siracusa, surgiu de uma concessão de terras entregue a Antônio Martins Ribeiro, um dos seus primeiros moradores. Miguel Gonçalves Vieira, que havia recebido 5 léguas de costa de Jorge de Albuquerque Coelho, doou uma dessas léguas com a condição de ali se levantar um engenho de açúcar.

Durante a ocupação holandesa do norte do Brasil, o povoado entrou para história ao enfrentar com heroísmo um violento ataque das tropas batavas. Em 1633, após saquearem Alagoas do Sul (atual Marechal Deodoro), onde queimaram a igreja de N. S. da Conceição e sacrificaram várias vidas, os soldados holandeses se dirigiram ao povoado de Santa Luzia do Norte, imaginando que também não encontrariam resistência.

Para surpresa deles, a população fora avisada do ataque e estava entrincheirada, repelindo heroicamente os agressores. A defesa do povoado localizado às margens da Lagoa do Norte, depois Mundaú, foi comandada por Antonio Lopes Filgueiras.

Craveiro Costa descreve o combate: “Cada casa foi transformada em fortaleza, onde se abrigavam os habitantes, dispostos à morte em defesa do burgo. A fuzilaria, intensa e mortífera, dizimou o invasor. A luta foi renhida. O inimigo acabou desistindo do seu intento, recuando”.

Os danos ao povoado foram poucos, mas naquele combate o povoado perdeu o seu primeiro vulto histórico: Antonio Lopes Filgueiras.

Por ter uma localização privilegiada, às margens da Lagoa Mundaú, o povoado cresceu rapidamente e, durante o período colonial, chegou a ser o mais importante entre os banhados pelo Rio Mundaú e sua lagoa.

Praça Getúlio Vargas Santa Luzia do Norte

Praça Getúlio Vargas em Santa Luzia do Norte

Em 10 de dezembro de 1830 foi desmembrado de Alagoas (Marechal Deodoro) e elevado à categoria de vila, com sede em Santa Luzia de Alagoa do Norte, instalada em 13 de junho de 1831. Santa Luzia do Norte ainda pertenceu a Pilar e Maceió

No final do século XIX, com o povoado de Rio Largo sendo beneficiado pela estrada de ferro a sede da vila foi perdendo importância econômica.

Formação Administrativa

Em divisão administrativa referente ao ano de 1991, a vila é constituída do distrito sede.

Elevado à condição de cidade com a denominação de Santa Luzia do Norte, pela lei estadual nº 696, de 13 de julho de 1915. Sob a mesma lei transfere a sede da vila de Santa Luzia do Norte para a povoação de Riacho Largo.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 2 distritos: Santa Luiza do Norte e Rio Largo (sede).

Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31 de dezembro de 1936 e 31 de dezembro de 1937.

Pelo decreto-lei estadual nº 2361, de 31 de março de 1938, baixado pelo governo estadual, o município de Santa Luzia perde a condição de município passando a ser distrito do então município de Rio Largo.

Em divisão territorial datada de 1º de dezembro de 1960, Santa Luzia é distrito de Rio Largo.

Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Santa Luzia do Norte, pela lei estadual nº 2464, de 23 de agosto de 1962, desmembrado de Rio Largo. Sede no atual distrito de Santa Luzia do Norte ex-povoado. Constituído do distrito sede. Instalado em 15 de dezembro de 1962.

Em divisão territorial datada de 31 de dezembro de 1963, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Fonte: IBGE e História das Alagoas, de Craveiro Costa.

1 Comentário on Santa Luzia do Norte, onde os holandeses foram derrotados

  1. Dário Augusto // 17 de outubro de 2015 em 08:10 //

    Um artigo sobre minha cidade natal é sempre uma alegria e deleite para leitura.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*