Períodos: trabalhos literários de Élio Lemos

Élio Lemos França em foto do acervo do Colégio Guido

Ficou conhecido como Élio Lemos, mas seu verdadeiro nome era Élio de Lemos França. Aluno brilhante do Colégio Guido de Fontgalland, destacava-se por seus dotes literários e pela liderança que exercia entre os colegas.

Morreu tragicamente no dia 12 de outubro de 1954, ao escorregar nas lisas pedras da Cachoeira de Paulo Afonso quando tentava fotografar um colega. Ele acompanhava a caravana por ser o Diretor do Departamento de Atividades Extra-Curriculares do Colégio Guido.

Quando faleceu em outubro de 1954, tinha apenas 16 anos e estava terminando o Científico, além de ser diretor da Revista Mocidade. Meses antes fundara com alguns amigos o Grupo Teatral Anchieta.

Assim descreveu o desastre o estudante João Cauby Cavalcante, que também participava da caravana do 4º ano ginasial do Guido: “Élio estava descalço, trajando uma calça de linho branco e camisa azul. Tentando galgar melhor posição, procurou passar por detrás de Rogério. Foi infeliz, no entanto. Escorregou em uma pedra lisa e, com os olhos arregalados, abrindo os braços numa tentativa vã de agarrar-se a Rogério, mas sem um grito sequer, mergulhou no abismo, sendo tragado pela fabulosa queda d’água”.

Seus colegas, amigos, professores e o próprio diretor do Colégio Guido, Padre Teófanes Augusto de Barros, resolveram fazer várias homenagens a Élio Lemos, entre elas publicaram a coletânea de seus trabalhos, que recebeu o título de PERÍODOS.

Quem cuidou da edição foi a MOCIDADE, importante revista dirigida pelo próprio Élio Lemos e produzida pelo Grêmio Estudantil do Colégio Guido. Foi lançada em 1956 e tornou-se uma obra rara. Baixe o livro PERÍODOS AQUI

O exemplar utilizado para esta digitalização do livro foi cedido gentilmente por Carmem Lincoln, uma pernambucana que trabalha no SEBRAE. Carmem Figueiredo, seu nome oficial, conta que o livro foi presenteado ao seu pai por uma amigo e repassado a ela quando  tinha 12 anos e começara a montar sua biblioteca. A editoria do “História de Alagoas” agradece à Carmem.

Mais informações sobre Élio Lemos podem ser colhidas na postagem assinada por Etevaldo Amorim, AQUI.

4 Comments on Períodos: trabalhos literários de Élio Lemos

  1. O currículo de Élio Lemos é mesmo impressionante para alguém tão jovem. Que pena que se foi tão cedo, senão, hoje estaríamos prestando homenagens a um grande algoano.

  2. Moro ao lado do antigo colégio Élio Lemos, hj nosso lar. Chegamos de salvador na década de 60, nossa casa dá pra ser vista nesta foto. Gostaria muito saber quem homenageou Élio lemos dando seu nome ao colégio.

  3. Sou alagoano, 62 anos, estudei no Colégio Élio Lemos. Moro no Paraná, há muitos anos. Fique surpreso ao descobrir pelo comentário da Rose (acima) que o colégio parece ter mudado de nome. Obrigado por contar a história de Élio Lemos. Eu não a conhecia.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*