Passo de Camaragibe

Rio Camaragibe em Passo de Camaragibe nos anos 50
Rua de Passo de Camaragibe nos anos 50

Rua de Passo de Camaragibe nos anos 50

Habitada inicialmente por índios potiguares e depois pelos colonizadores liderados por Cristóvão Lins — um fidalgo de origem alemã que chegou à região em fins do século XVI, expulsou os índios e construiu sete engenhos de açúcar —, Passo de Camaragibe traz até no nome a junção destas duas origens.

O termo “passo”, para Dirceu Lindoso, pode ser explicado pelo dicionário português de Moraes e Silva, de 1844. Quer dizer, literalmente, “estrada aberta que dá passagem”, ou ainda, “espaço por onde alguém há de sair, entrar, passar, porto em terra, ou no mar”.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição em Passo de Camaragibe nos anos 50

Igreja de Nossa Senhora da Conceição em Passo de Camaragibe nos anos 50

O porto de estuário e a passagem de terra que dava entrada às mercadorias e às levas de escravos para os engenhos de açúcar, povoados e vilas interiores do fértil vale do Rio Camaragibe, justificaram a identificação dessa área como “passo”.

A palavra Camaragibe, por sua vez, tem origem diversa. Pode ser do tupi “camara-juba”, que é uma árvore amarela ou “camará g-y-pe”, rio dos camarás, numa referência aos tupinambás.

O primeiro povoamento se formou às margens do rio Camaragibe e em torno de uma igreja, por isso, sua primeira denominação foi Matriz de Camaragibe. Um outro povoado, porém, começou a surgir no ponto em que o rio tinha menor profundidade.

No período da dominação holandesa da capitania de Pernambuco, entre 1624 e 1654, Passo de Camaragibe foi palco de algumas contendas entre forças flamengas e lusas. A primeira ação holandesa em Camaragibe se deu em outubro de 1632, quando tropas comandadas por Lichtardt e guiadas por Calabar desembarcaram em Barra Grande (Maragogi), passaram por Porto de Pedras e depois se apoderaram do gado de Camaragibe, tocando fogo em tudo que podiam levar. Em seguida foram para o Porto do Francês (Marechal Deodoro).

Rua de Passo de Camaragibe nos anos 50

Rua de Passo de Camaragibe nos anos 50

Por sua proximidade com Porto Calvo, Passo de Camaragibe esteve envolvida nos combates entre as forças de Dom Luiz Rojas e Borja e as de Arkchoff, em 1636, que deixaram um rastro de atrocidades, com a matança de mulheres e crianças, além de saques e incêndios.

Da mesma forma, em junho de 1645, quando João Fernandes Vieira estabeleceu-se na região, para preparar a ofensiva contra os holandeses, que somente aconteceu em setembro do mesmo ano, quando Cristóvão Lins reuniu forças para impor a rendição ao forte do Camaragibe, ocupado pelos holandeses.

Após a invasão holandesa e morte de Calabar, Passo de Camaragibe tornou-se um ponto ideal para controlar as comunicações entre o norte e o sul da capitania. Esta posição estratégica ajudou a desenvolver a região, promovendo o povoado a sede da freguesia.

Não há data precisa sobre a instalação da freguesia criada sob a invocação de Bom Jesus e transferida para Nossa Senhora da Conceição, padroeira do município. É provável que tenha sido em 1749. A freguesia foi elevada à vila pela Lei 197, de 1852; e à cidade, em 1880, pela Lei 842.

Formação Administrativa

Grupo Escolar Ambrósio Lira em Passo de Camaragibe nos anos 50

Grupo Escolar Ambrósio Lira em Passo de Camaragibe nos anos 50

Distrito criado com denominação de Passo de Camaragibe, pela lei provincial nº 417, de 09-06-1864.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Passo de Camaragibe, pela lei provincial nº 197, de 28-06- 1852, desmembrada de Porto de Pedras. Sede na povoação de Passos de Camaragibe. Instalada em, 04-09-1852.

Elevado à condição de cidade com a denominação de Passo, lei provincial nº 842, de 14-06-1880.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município se denomina Passo de Camaragibe e aparece constituído de 3 distritos: Passo de Camaragibe, Matriz de Camaragibe e Urucu.

Praça Padre Cícero Romão Batista em Passo de Camaragibe

Praça Padre Cícero Romão Batista em Passo de Camaragibe

Pelo decreto nº 587, de 14-09-1912, o município passou a denominar-se simplesmente Camaragibe.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município de Camaragibe é constituído de 3 distritos: Camaragibe, Matriz de Camaragibe e Urucu.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 31-12-1936 e 31-12-1937.

Pelo decreto-lei estadual nº 2361, de 31-03-1938, o município de Camaragibe volta a denominar-se Passo de Camaragibe.

Em divisão territorial datada de 1-07-1950, o município é constituído de 3 distritos: Passo de Camaragibe, Matriz de Camaragibe e Urucu.

Prefeitura Municipal de Passo de Camaragibe

Prefeitura Municipal de Passo de Camaragibe

Assim permanecendo em divisão territorial data de 1-07-1955.

Pela lei estadual nº 2093 de 24-04-1958, desmembra do município de Passo de Camaragibe o distrito de Matriz de Camaragibe. Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 1-07-1960, o município é constituído de 2 distrito: Passo de Camaragibe e Urucu.

Pela lei estadual nº 2468, de 25-08-1962, desmembra do município de Passo de Camaragibe o distrito de Urucu. Elevado à categoria de município com a denominação de Joaquim Gomes.

Em divisão territorial datada de 31-12-1963, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Fontes: IBGE, Enciclopédia Municípios de Alagoas e História da Civilização das Alagoas, de Jayme de Altavila.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*