Padre Teófanes Augusto de Barros, educando para elevar

Padre Teófanes voltando de Brasília com a autorização para o funcionamento do Cesmac

O padre Teófanes Augusto de Araújo Barros nasceu em São José da Lage em 13 de junho de 1912. Era filho de Teófilo de Araújo Barros, nascido em 5 de março de 1867, e Otília de Souza Barbosa. Era ainda neto do capitão José Correia de Araújo Barros.

São seus irmãos: Talvanes Augusto de Barros, Maria Teolinda de Barros, Teófilo Filho, Maria Teonila, Maria Teônia, Teobaldo, Maria Teodalva, Maria Teonice, Maria Teonor, Teodério, Teógenes Augusto, Téocles Augusto, Teodir Augusto e Maria Teomirtes.

Foi ordenado Presbítero em 1934. Fez licenciatura em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco e fundou o Colégio Guido de Fontgalland em 1939.

Quatro anos depois, prosseguindo com o seu espírito empreendedor, criou a Campanha Nacional de Educadores Gratuitos (1943), que instituiu 54 unidades escolares ginasiais e colegiais na capital e no interior do estado. Uma verdadeira revolução na educação de Alagoas.

Foi professor da Universidade Federal de Alagoas, tendo contribuído para a sua criação ao fundar a Faculdade de Filosofia em 1950. Dirigiu a UFAL e fundou o Centro de Estudos Superiores de Maceió – CESMAC, para oferecer aos trabalhadores a opção de terem acesso ao ensino superior no período noturno.

Padre Teófanes Barros foi também um dos fundadores do Conselho Estadual de Educação, do Sindicato dos Professores, do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Alagoas, da Associação das Escolas Católicas de Alagoas; do Centro de Estudos Jacques Maritain; da Revista Mocidade; criador do Hino de Maceió e do Hino do CESMAC.

Com o professor Douglas Apratto Tenório, atual vic-reitor do Centro Universitário Cesmac

Com o professor Douglas Apratto Tenório, atual vice-reitor do Centro Universitário Cesmac

Foi ainda professor do Seminário Metropolitano de Maceió, Cônego do Cabido Metropolitanos de Maceió, Capelão do Colégio Santíssimo Sacramento e Representante do Conselho Estadual de Educação junto ao Conselho Federal de Educação.

A sua busca pelo saber o levou a participar de cursos por todo o mundo. Foi membro da Academia Alagoana de Letras, da Academia Maceioense de Letras e do Instituto Histórico de Alagoas. Era escritor, poeta, filosofo e poliglota. Foi Presidente da Fundação Educacional Jayme de Altavila e Diretor Geral do CESMAC.

Dedicou toda a sua vida a um só ideal, “educar para elevar”. Faleceu no dia 21 junho de 2001. Em 2012, a Assembleia Legislativa de Alagoas, por proposição do deputado Judson Cabral (PT), lhe fez uma justa homenagem instituindo a Medalha do Mérito Educacional Padre Teófanes Augusto de Barros.

Com o padre Manoel Henrique

Com o padre Manoel Henrique

Recebendo homenagem de professores e ex-alunos do Colégio Guido de Fontgalland

Recebendo homenagem de professores e ex-alunos do Colégio Guido de Fontgalland

Padre Teófanes em umaatividade religiosa

Padre Teófanes em uma atividade religiosa

1 Comentário on Padre Teófanes Augusto de Barros, educando para elevar

  1. Hélio de Araújo Fontes // 4 de Abril de 2017 em 14:46 //

    Fui aluno do Colégio Guido, entre os anos de 1957 a 1960. Fiz lá 0 4º ano ginasial e os 3 do Científico. Tenho saudade de alguns professores: Teobaldo de Barros, Teônia de Barros, Aloísio Galvão, Mario Lima.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*