Mercado Público de Maceió custou dois mil contos de réis

Construção do final dos anos 30 e que hoje abriga uma feira de artesanato está indo a leilão

Mercado Público de Maceió em 1939, logo após a inauguração
Planta de Maceió de 1902 com a localização do futuro Mercado sobre o alagadiço da Levada

Planta de Maceió de 1902 com a localização do futuro Mercado sobre o alagadiço da Levada

O primeiro Mercado Público de Maceió, um projeto de José Pedro de Azevedo Schramback ,começou a ser construído em 1848 na gestão do presidente da Província João Capistrano Bandeira de Mello. Este galpão com quatro alas existiu até 1902 e se situava na Praça São Benedito, onde hoje está o prédio da Secretaria de Educação no Centro de Maceió.

Com a proclamação da República, sua administração passou a ser de responsabilidade do município, recebendo poucos investimentos e atenção dos intendentes. Somente em 1901 foi que o intendente José de Barros Wanderley de Mendonça resolveu reconstruir o Mercado, obra que ficou conclusa em 12 de outubro de 1902. Foram investidos cerca de 70 contos de réis.

Mercado da Levada

O novo Mercado Público de Maceió, agora na Levada, teve sua construção iniciada em 1936 ainda na administração do prefeito Álvaro Guedes Nogueira (28 de junho de 1935 a 30 de dezembro de 1936). A conclusão de suas obras e inauguração só ocorreu no início de 1939, durante o mandato do prefeito Eustáquio Gomes de Melo, que era engenheiro.

O local escolhido não foi bem recebido pela população e a imprensa repercutia diariamente esta insatisfação. Uma verdadeira campanha foi montada para impedir a construção do novo mercado da capital sobre o alagadiço da Levada.

Em julho de 1936, a carioca Companhia Geral de Obras e Construções S/A – GEOBRAS saiu vencedora da concorrência pública para a construção do mercado. A proposta vitoriosa foi de 1.181:600$000. Quase dois mil contos de réis.

Naquela data, a obra estava prevista para ser iniciada em um prazo de 15 dias e com a conclusão esperada para o dia 10 de dezembro daquele ano.

Em abril de 1939, o Mercado Público de Maceió viu entrar em funcionamento uma moderna Usina de Lacticínios. A instalação e os equipamentos custaram à Prefeitura 400 contos. Disa depois, o litro de leite higienizado estava sendo vendido a 1$200.

Praça Emílio de Maia com o Restaurante Gracy e o Mercado Público ao fundo na década de 1940

Praça Emílio de Maia com o Restaurante Gracy e o Mercado Público ao fundo na década de 1940

Mercado Público e a Praça Emílio de Maia na década de 1940

Mercado Público e a Praça Emílio de Maia na década de 1940

3 Comments on Mercado Público de Maceió custou dois mil contos de réis

  1. O que aconteceu com a praça?
    Hoje o Mercado está descaracterizado, correto?

  2. O Mercado foi transformado no atual Mercado do Artesanato e a praça foi invadida por camelôs.

  3. Não consigo ampliar a imagem da Planta de Maceió de 1902.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*