Luiz Jatobá, o alagoano gogó de ouro

Luiz Jatobá no início da carreira no final dos anos 30

Luiz Jatobá no início da carreira no final dos anos 30

Luiz Trimegisto Jatobá nasceu em Maceió no dia 5 de janeiro de 1915, mas não permaneceu por muito tempo em Alagoas. Foi morar com a família no Rio de Janeiro ainda criança.

Tinha 18 anos e cursava o 2º ano da Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil quando, em 1935, foi aprovado em um concurso para locutor da Rádio Jornal do Brasil, que estava para ser inaugurada. Uma namorada sua foi quem incentivou o jovem estudante a participar da seleção de locutores.

Às 7 horas da manhã do dia 10 de agosto de 1935, a voz de Luiz Jatobá anunciava o acordo entre a Inglaterra e a Alemanha no cenário político antes da Segunda Guerra Mundial. Era o primeiro noticiário lido na Rádio Jornal do Brasil, ainda em fase experimental. A solenidade de inauguração oficial se deu naquele mesmo dia, no início da noite.

Em 1938, transferiu-se para a Rádio Vera Cruz, no Rio de Janeiro, onde apresentava o Programa da Tarde e o Programa da Noite, além de ser o locutor chefe da empresa. Com Getúlio Vargas no poder e em plena ditadura do Estado Novo, Luiz Jatobá, em agosto de 1939, passa a trabalhar para o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) do governo Federal e assume a locução da Hora do Brasil, substituindo Zolachio Diniz.

Em 1944, com John Boles na CBS em Nova Iorque

Em 1944, com John Boles na CBS em Nova Iorque

A partir de 1940, foi morar os Estados Unidos e dirigiu a Divisão Brasileira da Cadeia das Américas da Columbia Broadcasting System (CBS), além de prestar serviços para várias companhias cinematográficas, incluindo a Metro (MGM), Fox e Paramount.

Mesmo trabalhando como locutor e fazendo uma série de irradiações para o Brasil a partir de Nova Iorque, continua os seus estudos de Medicina na New York Graduate School of Orthopedices. Tinha a pretensão de voltar ao Brasil após a guerra para trabalhar como médico.

De volta ao Brasil, em outubro de 1944, passou a escrever reportagens para vários jornais cariocas e para a Revista Manchete. Em fevereiro de 45 apresenta O Nome do Dia, crônicas lidas à 21h30 na Rádio Nacional.

Contratado pela Metro Goldwyn Mayer, volta aos EUA onde permanece até 1950, quando regressa ao Brasil e assina contrato com a TV Tupi para dirigir artisticamente a emissora que foi inaugurada naquele mesmo ano, no dia 18 de setembro. A TV Tupi de São Paulo, PRF-3, canal 3, foi o primeiro canal de televisão do país e surgiu por iniciativa de Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Melo, que já comandava os Diários Associados.

Luiz Jatobá foi convidado por Fernando Chateaubriand, sobrinho de Assis Chateaubriand, que o queria também como o apresentador do primeiro telejornal da TV Tupi do Rio de Janeiro, que só foi ao ar no dia 20 de janeiro de 1951, data em que foi inaugurada.

Luiz Jatobá foi considerado a melhor voz do Brasil e das Américas

Luiz Jatobá foi considerado a melhor voz do Brasil e das Américas

Além de trabalhar no telejornal, Jatobá ainda era locutor na Rádio Mayrink Veiga. Depois esteve na Rádio Nacional, onde ficou de 1958 a 1960.

Em 1960 trabalhou como narrador na TV Rádio Clube de Pernambuco, no programa Vale a Pena Contar produzido pela agência Brasil-Pan. Em 1961, na TV Rio, era o narrador do programa O Feijão e o Sonho. No ano seguinte assina contrato com a Rádio Mayrink Veiga. Em junho 1963, na TV Tupi, apresenta Os Dez Mais.

Em novembro de 1963 foi para a TV Excelsior como apresentador do Jornal da Cidade, ao lado de César Ladeira, Oduvaldo Cozzi, Roberto Faissal, Cyl Farney, Anik Mavil, Iris, Geraldo Borges, Hilton Gomes e Sargentelli.

Após assumir a direção de jornalismo da Excelsior do Rio de Janeiro em 1963, transforma o Jornal Excelsior, “um show de notícias”, em dos maiores sucessos da televisão brasileiro. Por força do patrocínio, passou a chamar-se Jornal Cássio Muniz. Em 1965 o programa passou para a TV Tupi, onde afinal recebeu o nome de Jornal de Vanguarda. Em 1966 foi para a TV Globo, e nos anos seguintes foi apresentador da TV Continental e TV Rio.

Em 1966, comanda o Jornal de Verdade na TV Globo

Em 1966, comanda o Jornal de Verdade na TV Globo

Em abril de 1964 esteve em Maceió, convidado oficial do governo do estado para visitar sua terra natal. Voltou a Maceió em 1975, na inauguração da TV Gazeta.

Já na TV Globo, em 1966, participou do Noite de Gala e se reencontra com o Jornal de Verdade, agora na emissora dos Marinhos. De volta à TV Excelsior, em 1969, apresenta o Telejornal Pirelli.

Na TV Rio, em 1969, é o entrevistador no programa Primeiro Plano. Em maio de 1971 estreia o programa Globo Especial, diretamente de Washington, dividindo a tela com Hilton Gomes. Participou ainda do Programa Flávio Cavalcanti em 1971.

Em junho de 1975, volta à TV para apresentar Realidades na TV Rio. O programa era transmitido de Houston, Texas, e abordava problemas urbanos, arquitetura e transporte.

Luiz Jatobá foi um pioneiro na migração dos locutores de rádio para a televisão

Luiz Jatobá foi um pioneiro na migração dos locutores de rádio para a televisão

Luiz Jatobá após 45 anos atuando na comunicação foi perguntado sobre qual foi a melhor notícia que leu. “Foi sobre a descoberta da vacina Salk.”. E a mais triste? “Foi quando tive que noticiar o lançamento da bomba atômica sobre Hiroshima”.

Em outubro de 1961 se divorcia de Betty Hennlly, sua esposa norte-americana e casa-se com a ex-esposa de Humberto Teixeira, a atriz e pianista Margot Bittencourt (Margarida Jatobá). Luiz Jatobá foi pai de quatro filhos: Luiza, Arthur, Herme Luize e Luiz Carlos.

Dono de uma voz possante, foi considerado o locutor de melhor voz do Brasil e das Américas. Faleceu aos 68 anos, no dia 9 de dezembro de 1982, na Casa de Saúde Bambina, em Botafogo, no Rio de Janeiro, onde estava internado desde 28 de novembro. Tinha sido operado da coluna vertebral.

Morava em Nova Iorque, mas retornou ao Brasil para visitar o pai. O agravamento da sua doença foi atribuído à perda do seu filho Luís Carlos Jatobá, publicitário que foi sequestrado em janeiro de 1981 e nunca mais encontrado.

No vídeo abaixo, Luiz Jatobá participa do Programa Abertura da TV Tupi em 1979, quando várias personalidades se pronunciam pela abertura política no país.

2 Comments on Luiz Jatobá, o alagoano gogó de ouro

  1. Gostei muito da matéria!!!!

  2. Gustavo Miranda // 16 de fevereiro de 2016 em 19:28 //

    Matéria interessantíssima!!!!! Não é de hoje que pesquiso sobre o grande Luiz Jatobá!

1 Trackbacks & Pingbacks

  1. Luiz Jatobá (1915-1982) | História do Cinema Brasileiro

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*