Hotel Bella Vista

Hotel Bella Vista
Boca de Maceió no final do século XIX. Hoje é a Praça dos Palmares

Boca de Maceió no final do século XIX. Hoje é a Praça dos Palmares

O Hotel Bella Vista foi inaugurado às 13 horas do dia 21 de junho de 1923. No local onde foi construído funcionou o antigo Hotel Universal e depois o Hotel Petrópolis, na antiga Boca de Maceió, que abrangia uma área que hoje abriga a Praça dos Palmares e a Rua Barão de Anadia.

Com presença do governador Fernandes Lima e de outras autoridades, foi oferecido um banquete. As músicas ficaram por conta das bandas da Polícia Militar e 20º Batalhão de Caçadores, e da Orquestra do Cinema Floriano.

Hotel Petrópolis, que sucedeu ao Hotel Universal. Local da construção do Bella Vista

Hotel Petrópolis, que sucedeu ao Hotel Universal. Local da construção do Bella Vista

O projeto inicial do prédio era para abrigar a residência do penedense Arsênio Fortes, um comerciante bem-sucedido em Maceió.

Durante a construção, o comerciante resolveu utilizar o palacete como hotel e organizou uma sociedade anônima, a Sociedade Anônima Bela Vista Palácio Hotel.

O edifício foi projetado pelo arquiteto alemão Guilherme Jâgerfeld, e tinha três andares, com 30 metros de altura, ocupando uma área de 1.400m2 e dispunha de 40 quartos e 5 terraços mosaicados e artísticas balaustradas.

No livro Memórias, Discursos, Artigos e Rimas, de A. C. Simões, há uma referência a existência de um “elevador-gaiola” no hotel, e que este seria o primeiro de Maceió a utilizar tal recurso.

Hotel Bella Vista na década de 30

Hotel Bella Vista na década de 30

Possuía energia elétrica de um gerador a gás e água própria, retirada por bomba elétrica de um poço tubular, artesiano, de 46 metros de profundidade.

Bráulio Leite Júnior, no seu livro Outras histórias de Maceió, revela que o embaixador português e escritor dramaturgo Júlio Dantas, hospedou-se no Bella Vista em 1924 e deixou o seguinte comentário: “Tenho a impressão de que estou numa terra de príncipes, pois este hotel é um dos mais bonitos do Brasil”.

O Bella Vista em 1950

O Bella Vista em 1950

No dia 11 de junho de 1924, no Hotel Bella Vista, o Dr. Homero Galvão, representando a Associação Comercial, faz uma saudação ao governador Costa Rego, que estava sendo empossado.

Dois anos depois de inaugurado, no dia 31 de março de 1925, o hotel fechou as portas, só reabrindo no dia 15 de março de 1926. Voltou a fechar no deia 15 de março de 1928.

Em 1929, foi a leilão. Arrematado pela empresa de seguros Aliança da Bahia, passou a ser administrado por Romeu dos Santos e depois foi negociado com Adib Rabay, quando passou a se chamar Bella Vista Palace Hotel.

Segundo Roland Benamor, que morou com seu pai por muitos anos no hotel, Adib Robay era um turco que tinha o costume de ir dormir às 17h e acordar às 4h da manhã para que os viajantes não deixassem o hotel sem pagar a conta.

Benamor informa que Adib, “apesar de ter sido dono de três hotéis em Maceió, ficou pobre e os antigos viajantes que se hospedavam no Bella Vista se cotizaram para que ele pudesse voltar para a Turquia”.

Fechou as portas no início dos anos 60 e começou a ser demolido no final do anos 60 e suas ruínas só foram retiradas em 1969 para dar lugar ao prédio do INAMPS, atual INSS, que foi inaugurado em 1974.

Na pesquisa, encontramos no jornal Gutemberg de 13 de março de 1909 uma notícia sobre um crime no quarto 59 do suplemento do Hotel Bella Vista. Haveria um outro Hotel Bella Vista já em 1909?

Em 1969, o local onde onde existia o Bella Vista foi limpo para a construção do prédio do INAMPS

No final dos anos 60, o local onde onde existia o Bella Vista foi limpo para a construção do prédio do INAMPS

5 Comments on Hotel Bella Vista

  1. ROLAND BENAMOR // 12 de junho de 2015 em 10:54 //

    Ediberto,

    Sai de Maceió, indo para o Rio no início de 1966. Até então – e acabei de confirmar com uma minha irmã, que até essa data o Bella Vista continuava “intato”, pelo menos externamente. Tenho absoluta certeza de que sua demolição ocorreu após essa data.

  2. maria goretti baracho // 25 de junho de 2015 em 10:27 //

    Parabéns pela foto antiga do centro de Maceió.

  3. marcos de farias costa // 17 de outubro de 2015 em 12:10 //

    Foi um crime de lesa-arquitetura a demolição do portentoso Hotel Bella Vista, que foi propriedade do turco Adib Robay (atentem pro nome); e também não menos delituoso, ambos crimes de descaso perante a arquitetura maceioense, foi a demolição da antiga cadeia Pública. Dois belos prédios que foram para as cucuias, vítimas da incúria politíco-administrativa de Alagoas. Amén.

  4. João Henrique Pereira // 30 de Março de 2016 em 12:20 //

    Uma simples análise de fotos antigas da região central de Maceió é necessária para constatar que a década de 60 e 70 foi promovida uma campanha de vandalismo arquitetônico em nossa cidade que acabou por a torná-la feia. Antes dessa data seria risível, eu suponho, que nossas campanhas de promoção do turismo se concentrassem nas belezas naturais da capital.

  5. Jamil Gadêlha Zaidan // 13 de junho de 2016 em 21:05 //

    Amigo Historiador EDBERTO TICIANELI. Esta é a razão de postar e de dizer, por inteiradas vezes, que o iminente homem publico, que você é, não pode deixar de mostrar toda esta riqueza cultural e histórica que MACEIÓ TEVE. PARABÉNS. A EDUCAÇÃO E A CULTURA DO POVO QUE AINDA TEM CORAGEM E TEMPO DE LÊ E ESCREVER AGRADECE. MUITO OBRIGADO, PELA AULA DE HISTÓRIA, QUE SEMPRE NÓS DÁ. VAMOS CONTINUAR ASSIM, NÃO VAMOS DEIXA NOSSA HISTÓRIA MORRER.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*