História da cirurgia plástica em Alagoas

Sala de cirurgia da Santa Casa de Maceió em meados do século XX
Dr. Egas Carlos Duarte, pioneiro da Cirurgia Plástica no Brasil

Dr. Egas Carlos Duarte, pioneiro da Cirurgia Plástica no Brasil

Fernando A. Gomes*

A mais recuada referência da Cirurgia Plástica em Alagoas é referenciada por meio do cirurgião plástico alagoano Egas Carlos Duarte, formado em Salvador na Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia, onde teve início o ensino superior no Brasil.

Egas Carlos Duarte foi um dos primeiros especialistas em cirurgia plástica no Brasil, tendo realizado mamoplastias redutoras na histórica Santa Casa de Misericórdia de Maceió, na década de 20. Em 1926, atendendo ao chamado de um centro mais avançado, seguiu para a capital federal do Rio de Janeiro e organizou consultório regular vinculado a prática da cirurgia plástica. Sua morte, em 1928, o impediu de contribuir, com maior relevo, na formação da cirurgia plástica brasileira.

As atividades regulares de Cirurgia Plástica em Alagoas, após Egas, tiveram início com o acadêmico José Costa Lima, que trabalhava com o importante cirurgião geral alagoano Dirceu Falcão — que criou uma clínica cirúrgica em Maceió, com critério de escola, na clínica Dr. Neves Pinto.

Prof. Dr. José Costa Lima

Prof. Dr. José Costa Lima

Foi Dirceu Falcão o leitmotiv para a intermediação do Dr. José Costa Lima, no Recife, em 1963, com o Serviço de Cirurgia Plástica do Prof. Perseu Lemos — com Perseu Lemos aprendeu os princípios da cirurgia plástica que configuraram sua afeição à especialidade. Ainda no Recife, e, com o auspício do grande ortopedista alagoano Bráulio Pimentel, iniciou treinamento com o, também, alagoano e especialista em cirurgia da mão, Dr. José Rodrigues, que lhe repassou os segredos da cirurgia da mão, que aprendera com o ortopedista inglês Guy Pulvertaft.

José Costa Lima retornou a Maceió em 1967, e, após referência do Prof. Perseu Lemos, seguiu para o Rio de Janeiro para complementar sua formação na Santa Casa de Misericórdia, com o Prof. Ivo Pitanguy.

Em 1973, José Costa Lima foi nomeado professor da Universidade Federal de Alagoas, por concurso para a cátedra de Clínica Propedêutica Cirúrgica, cujo titular era o Prof. Ascânio Augusto de Araújo Jorge. No mesmo ano de 1973, aconteceu um episódio que veio fortalecer a cirurgia plástica em Alagoas: aportou em Maceió o navio-hospital americano do projeto HOPE, que permaneceu durante dez meses e trouxe sete cirurgiões plásticos americanos, chefiados pelo cirurgião Dr. Edward Falces, de São Francisco — Califórnia.

Prof. Cláudio Rebelo, coordenador do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Municipal Barata Ribeiro

Prof. Cláudio Rebelo, coordenador do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Municipal Barata Ribeiro

Em 1975, foi criada a disciplina de Cirurgia Plástica e Reconstrutora da Universidade Federal de Alagoas, que conferiu condições para o início do treinamento prático, sob orientação do Prof. José Costa Lima, dos discípulos: Dr. Lourival Cézar de Oliveira, que realizou residência médica no Hospital dos Defeitos da Face, com o Prof. Paulo de Castro Correia; e dos Drs. Luiz Alberto Lopes Ferreira e Fernando Antônio Gomes de Andrade, que realizaram residência médica com o Prof. Cláudio Rebelo, no Hospital Municipal Barata Ribeiro, no Rio de Janeiro — o serviço do Prof. Cláudio Rebelo foi também o responsável pela formação dos cirurgiões: Fernando Duarte, Fernando Lins, José Antônio Pacheco, José Carlos Rios da Rosa e Viviane Honório, sendo o serviço que realizou a maior contribuição na formação de cirurgiões plásticos alagoanos.

O Serviço de Cirurgia Plástica e Reconstrutora da Universidade Federal de Alagoas recebeu, em 1990, por intermédio da Reconstructive Surgery Fundation a visita dos Profs. Lexter Silver, Edward Falces e colaboradores — evento importante que consolidou o pioneirismo e a grande dinâmica científica do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário da UFAL.

1990: Vinda do Prof. Lexter Silver a Alagoas pela Reconstructive Surgery Foundation. Dr. Gustavo Quintella, Dr. Fernando Gomes, Dr. Fernando Duarte, Prof. Lexter Silver, Dr. Lourival Cézar, Dr. José Costa Lima, Dr. Ronaldo Leão, Residentes americanos, Dr. Luiz Alberto Lopes e Acadêmica Cláudia

1990: Vinda do Prof. Lexter Silver a Alagoas pela Reconstructive Surgery Foundation. Dr. Gustavo Quintella, Dr. Fernando Gomes, Dr. Fernando Duarte, Prof. Lexter Silver, Dr. Lourival Cézar, Dr. José Costa Lima, Dr. Ronaldo Leão, Residentes americanos, Dr. Luiz Alberto Lopes e Acadêmica Cláudia

Em 1996, a presença da cirurgia plástica foi destacada com a outorga, pelo conselho superior da Universidade Federal de Alagoas, do título de Dr. Honoris Causa, ao Prof. Ivo Pitanguy.

A participação científica da cirurgia plástica alagoana foi demarcada pela publicação, por José Costa Lima, em 1975, da técnica para a resolução das grandes hipertrofias mamárias e pelas teses de doutoramento defendidas por: Fernando Antônio Gomes de Andrade, em 2002, no Serviço e Disciplina de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de São Paulo, coordenados pela Profª. Lydia Massako Ferreira; André de Mendonça Costa, em 2009, e Emmanuella Araújo de Oliveira, ainda em andamento, ambos no Serviço de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de São Paulo, coordenado pelo Prof. Marcus de Castro Correia.

O Serviço e a Disciplina de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de Alagoas, atualmente coordenados pelo Prof. Fernando Antônio Gomes de Andrade, participam na formação e informação dos médicos alagoanos, por meio do exemplo científico do Prof. José Costa Lima, que influenciou a consolidação dos serviços de cirurgia plástica da Santa Casa de Misericórdia, coordenado pelo Dr. Luiz Alberto Lopes Ferreira, e do Hospital da Agroindústria do Açúcar, coordenado pelo Dr. Lourival Cézar de Oliveira.

1996: A disciplina de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de Alagoas — UFAL, por meio dos Drs. José Costa Lima e Fernando Gomes, conferiu a Ivo Pitanguy o título de Dr. Honoris Causa. Prof. Alberto Antunes, Prof. Ricardo Nogueira, Prof. Fernando Gomes, Prof. Silvio, Prof.(a) Nilza Martins, Prof. João Macário, Prof. Mário Jucá, Prof. Ivo Pitanguy, Prof. Úlpio Miranda, Prof.(a) Marione Cortês e Prof. José Costa Lima

1996: A disciplina de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de Alagoas — UFAL, por meio dos Drs. José Costa Lima e Fernando Gomes, conferiu a Ivo Pitanguy o título de Dr. Honoris Causa. Prof. Alberto Antunes, Prof. Ricardo Nogueira, Prof. Fernando Gomes, Prof. Silvio, Prof.(a) Nilza Martins, Prof. João Macário, Prof. Mário Jucá, Prof. Ivo Pitanguy, Prof. Úlpio Miranda, Prof.(a) Marione Cortês e Prof. José Costa Lima

Presença da SBCP

A Regional Alagoas da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica foi criada em 25 de novembro de 2005, tendo como I° Presidente o Dr. Lourival César de Oliveira. Nosso segundo Presidente, Dr. Luiz Alberto Lopes Ferreira, período de 2008 a 2009, consolidou a Regional SBCP — AL com a organização da 24ª Jornada Norte Nordeste de Cirurgia Plástica, realizada no estado, em setembro de 2009, na qual desenvolveu com participação e objetividade uma gestão austera e empreendedora. Alagoas atualmente conta com cerca de 28 cirurgiões plásticos.

(*) Prof. Coordenador da Disciplina e do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário da Universidade Federal de Alagoas. Membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas. Atual Presidente da Regional Alagoas da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Texto publicado originalmente no Boletim do Núcleo Alagoano de História da Medicina, nº 4, Ano IV, Maceió, 2011.

 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*