Emílio de Maya, o poeta do Drama do Petróleo

Praça Emílio de Maya no final dos anos 50
Emylio Maya

Emylio Maya

Emílio Elizeu de Maya nasceu no Engenho Patrocínio na cidade de Atalaia, no ano de 1906.

Era filho de Alfredo de Maya – Alfredo de Farias Bittencourt – e Regina C. Accioly de Maya.

Aos 14 anos fundou no Colégio Higino Belo, onde estudou, o jornal O Independente.

Estudou direito na Faculdade do Recife e ingressou na política chegando a ser eleito Deputado Federal. Teve vida efêmera, porém muito bem vivida.50491

Era católico, pertenceu e dirigiu por muito tempo a Congregação Mariana de Maceió, que liderava movimentos literários entre os jovens.

Escreveu entre outros livros O Brasil e o drama do petróleo, além de vários artigos de jornais.

Seu nome é sempre lembrado em Clubes Literários e Bibliotecas e está perpetuado em uma Escola de 1º Grau no povoado Bittencourt, em Atalaia, e em outra no município de Carneiros.

Faleceu em 1939 deixando várias poesias, que foram organizadas em livro por seu sobrinho, historiador e escritor, J. F. de Maya Pedrosa, e por Astréa Miranda Pedrosa, esposa de J. F. de Maya Fernandes. O livro de poemas foi denominado Pétalas Esparsas – poemas de Emílio de Maya.

Fonte: http://www.atalaiapop.com/paginas/historia/17.html

5 Comments on Emílio de Maya, o poeta do Drama do Petróleo

  1. Vanessa B. Maya de Omena // 25 de maio de 2015 em 20:07 //

    O pai de Emílio de Maya era Alfredo de Maya – Alfredo de Farias Bittencourt. Apesar de primo de Arnon de Mello ele não possui o Melo ou Mello em seu sobrenome.

  2. Vanesa B. Maya de Omena // 20 de março de 2017 em 19:44 //

    Correção: No caso do parentesco citado acima é pelo sobrenome Farias (e não Melo ou Mello) .
    O livro de poemas” Pétalas Esparsas – poemas de Emílio de Maya” foi organizado por seu sobrinho, historiador e escritor, JF de Maya Pedrosa.

  3. Vou fazer as correções. Obrigado Vanessa.

  4. Vanesa B. Maya de Omena // 22 de março de 2017 em 19:40 //

    Obrigada eu Ticianeli. Mais uma ‘falha’ de minha parte: A esposa de José Fernando de Maya Pedrosa, Astréa (Teíta) Miranda Pedrosa, também foi responsável pela organização do livro.
    Abraço!

  5. Monique Silva // 16 de junho de 2017 em 12:35 //

    Ticianeli, parabenizo-lhe por esse importante trabalho de registro e resgate dos nossos ilustres vultos literários alagoanos. A poesia de Emílio de Maya professa uma beleza poética que ao passo que inspira leveza também inspira a pungência de uma vida . Seria interessante colocar alguns poemas dele a fim de propiciar uma melhor divulgação e homenagem ao referido poeta. Sugiro os poemas “O sertanejo” e “Pétalas Esparsas”, do livro homônimo Pétalas Esparsas. Mais uma, vez parabéns por seu trabalho
    !

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*