D. Adelmo Machado, o religioso do Movimento de Educação de Base

Dom Adelmo Cavalcante Machado nasceu em Penedo no dia 5 de março de 1905 e faleceu em Maceió no dia 28 de novembro de 1983. Filho de Mateus de Souza Machado e de Rosa Cavalcante Machado. Foi criado em São Miguel dos Campos/AL.

D. Adelmo Machado

D. Adelmo Machado

Entrou para o Seminário Arquidiocesano de Maceió/AL no ano de 1918, ordenando-se sacerdote em 4 de dezembro de 1927.

Exerceu o cargo de vice-reitor no ano de 1927 e de reitor de 1942 a 1948 do Seminário de Maceió/AL, onde também foi professor de Teologia.

Foi eleito bispo da cidade de Pesqueira/PE onde fundou a Escola Profissional de Artes, o Ginásio Cardeal Arcoverde e o Colégio da Imaculada Conceição, além do Seminário Era Nova.

Volta para Maceió no dia 29 de novembro de 1955 como arcebispo-coadjutor, assumindo o cargo de arcebispo em 1963, onde permaneceu até 1976, renunciando por limite de idade e problemas de saúde.

D. Helder Câmara, D. Adelmo Machado e o governador Lamenha Filho em 1966

D. Helder Câmara, D. Adelmo Machado e o governador Lamenha Filho em 1966

Coordenou o I Congresso Eucarístico Provincial de Maceió, promoveu a criação do Museu de Arte Sacra D. Ranulfo, estabeleceu a Pastoral das Religiosas e o Movimento de Educação de Base.

Criou a Livraria Católica e a Rádio Católica Palmares. Fundou a Faculdade de Serviço Social Padre Anchieta e trouxe novas congregações para a diocese.

Em 1962, é criada por sua sugestão, a diocese de Palmeira dos Índios. Foi professor do Liceu Alagoano nas cadeiras de Francês e Português. Como arcebispo resignatário, passa a viver no seminário que antes dirigia.

Pesquisa de Josefina Novaes e Cleide Maia para a SECOM-AL.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*