Cine São Luiz, o velho Cinearte

Cine são Luiz nos anos 70
Cinearte no dia 17 de maio de 1945

Cinearte no dia 17 de maio de 1945

O Cine São Luiz, antes de vir a ser um dos mais modernos cinemas da capital, foi conhecido nos anos das décadas de 1920 e 1930, como Cine Floriano e, em seguida, Capitólio.

Entretanto, foi como Cinearte que viveu seus dias de glória. Sempre funcionando na Rua do Comércio, manteve esta denominação até 1957.

Até meados dos anos 50, o Cinearte era um dos principais cinemas da cidade e ponto de referência para encontros no Centro da capital.

Por falta de investimentos e maiores cuidados, começou a revelar o estado de abandono em que se encontrava. Logo, começou receber críticas e perder público.

Cinearte nos anos 50, antes de fechar para reforma

Cinearte nos anos 50, antes de fechar para reforma

Elinaldo Barros, em Recordações de um Cinema de Bairro, cita que em dos carnavais da época, um carro alegórico fez sucesso por imitar uma imensa caldeira, em alusão ao calor do cinema.

No dia 6 de julho de 1957, estudantes universitários promoveram uma manifestação na porta do Cinearte. Houve repercussão até na Assembleia Legislativa. Era a famosa Fila Boba.

Os jovens formavam uma enorme fila em que havia um revezamento entre os mesmos, sem ninguém comprar ingressos e sem deixar os outros usuários comprarem.

No dia 9 de julho de 1957, o Cinearte fechou as portas e entrou em reforma, voltando a funcionar somente no dia 27 de fevereiro de 1959, já sob novo nome: Cine São Luiz, com poltronas estofadas, ar-condicionado e tela em cinemascope.

O filme de reestreia foi Tarde de Mais Para Esquecer, com Cary Grant e Debora Kerr. Com as novas instalações, o cinema voltou a ser frequentado, havendo sessões em que a Rua do Comércio ficava interditada ao trânsito.

Entre o final dos anos 60 e meados dos anos 70, o Cine São Luiz foi palco do Cinema de Arte de Maceió. Uma iniciativa de Imanoel Caldas, Gildo Marçal, Bezerra Neto e Radjalma Cavalcante, então presidene do DCE da Ufal.

O Cine São Luiz funcionou até 1996, quando fechou as portas após o crescente deslocamento das salas de cinemas para shoppings centers. O último filme exibido foi O preço de um resgate, com Mel Gibson, Rene Russo, Brawley Nolte, Gary Sinise e Delroy Lindo.

Cine São Luiz em, 1971, no lançamento do filme A Volta pela Estrada da Violência

Cine São Luiz em, 1971, no lançamento do filme A Volta pela Estrada da Violência

Cine São Luiz no início dos anos 60

Cine São Luiz no início dos anos 60

O São Luiz e a Rua do Comércio nos anos 70

O São Luiz e a Rua do Comércio nos anos 70

Cine São Luiz em 1974, recebendo um filme de Renato Aragão

Cine São Luiz em 1974, recebendo um filme de Renato Aragão

 

2 Comments on Cine São Luiz, o velho Cinearte

  1. lenilma Xavier // 28 de março de 2016 em 20:18 //

    Recordar é viver !! Emocionada!!

  2. Júlio César // 23 de julho de 2016 em 19:21 //

    Esse filme “a volta pela estrada da violência” foi filmado em Santana do Ipanema, inclusive utilizando moradores locais como figurantes. Parabéns pela reportagem.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*